Banner
23
Oct

IFRN Santa Cruz realiza evento sobre acessibilidade e inclusão feminina

Imprimir
PDF

mulhermileventooutubroBordados, panos de prato, agendas e objetos que representam não só uma feira solidária, mas o resgate da dignidade de cerca de vinte alunas do Curso de Reciclador do Programa Mulheres Mil. Com muita dedicação, cada uma delas ficou responsável por apresentar sua produção ao público que prestigiou a III Jornada de Diálogos sobre Acessibilidade e Inclusão, realizada entre a quarta (18) e a sexta 20/10, no Campus Santa Cruz.

A exposição aconteceu nos turnos matutino e vespertino próximo ao auditório. No Programa, durante seis meses, as estudantes assistem a aulas três vezes por semana, participam de oficinas de orientação e têm a chance de atuar como voluntárias em atividades de eventos institucionais. Além disso, as participantes podem agendar aulas para aprimorar as suas habilidades.

Conhecimento e volta por cima

Há vinte anos longe da escola, Francisca Crisanto (52) fez questão de agradecer ao Instituto pela oportunidade de se qualificar profissionalmente. "O IFRN abriu as portas pra gente. No curso, coloquei em prática habilidades que já tinha e busquei aprimorá-las ainda mais, tanto é que já estou produzindo bordados para vender. Já estou ganhando dinheiro", comemorou.

Ela destacou, ainda, o conhecimento que tem adquirido das disciplinas ministradas no curso. "Temos aulas de Português, Matemática, Segurança do Trabalho, aprendemos a calcular gastos, lucros... Estou adorando", completou.

Através do programa, em 2012, Josefa Félix (40) também abraçou a oportunidade de retomar os estudos. Hoje aluna do curso de Licenciatura em Física do Campus Santa Cruz e bolsista do Mulheres Mil, ela destacou a importância da iniciativa. "O melhor de tudo é ter a chance de voltar a estudar, inclusive, de poder participar de um projeto em que podemos reaproveitar materiais que antes iam para o lixo para produzir itens para venda e uso doméstico", contou.

"O Programa cumpre uma das finalidades da Instituição que é fomentar o desenvolvimento local. Podemos perceber isso quando disponibilizamos ofertas educacionais que elevam a escolaridade e preparam essas pessoas para o mundo do trabalho, sem contar, que, na verdade, estamos incluindo mulheres no mundo público, um espaço que, no passado, segundo inúmeros estudos no campo de gênero e educação, era reservado prioritariamente aos homens", comentou a pedagoga Rita de Cássia Rocha, atual coordenadora local do Mulheres Mil.

O Programa tem como objetivo oferecer cursos de profissionalização e complementação de estudos a mulheres em vulnerabilidade social. A oferta de Cursos de Formação Continuada (FIC) busca promover a autonomia da mulher e a criação de oportunidades no mercado para que consigam melhorar a qualidade de suas vidas e de suas comunidades.

O evento

A III Jornada de Diálogos sobre Acessibilidade e Inclusão (Jordai) tem como objetivo nortear os caminhos para a inclusão, principalmente, junto a profissionais que atuam na educação, na saúde e nos centros de atendimentos especializados, a assistentes sociais e familiares de pessoas com deficiência que, de alguma forma vivenciam a inclusão, seja cuidando de alguém ou sob cuidados.

autoescolar3a1banner

Comentários (0)