Banner
16
Jul

Poesias Santa-cruzenses

Imprimir
PDF

LIMITAÇÕES (LINDONETE CÂMARA)

Construções de muralhas nos limitam
Engenharias de nossas vidas
Limites dos neurônios
Limitações esquisitas.
Horizontes o cérebro deve galgar
Inverter limitações e adentrar
Memórias diversas
Sem limites acionar.
Algo individual há no limite
O processamento do pensar
Ágil ou devagar
Limitação, desejo a superar.
Na rede cerebral interconectada
O sem limites deve estar
Conhecer o funcionamento
Desse órgão engenhoso, se encantar.

O QUE EU SEI (HÉLIO CRISANTO)

Eu só sei cortar mato de enxada
Amansar burro brabo e fazer broca
Dá solfejos com flauta de taboca
E tirar leite rompendo a madrugada
Meu cardápio é queijo com coalhada,
Rapadura batida com feijão
Já botei muita água de galão
E enchi pote com água de barreiro
Sou poeta, matuto e violeiro
E as histórias que conto é do sertão

Blog_Edipo_Autismo_1950x300px-FINAL

Comentários (1)