Banner

Estadual

Departamento de Promoção à Cidadania da Seap/RN leva projeto Alerta Jovens para Apodi

Imprimir
PDF

Alerta_jovem_em_Apodi

A Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap/RN), por meio do Departamento de Promoção à Cidadania (DPC), implementou o projeto Alerta Jovens, nesta semana, na Escola Estadual Antônio Dantas, localizada em Apodi, a 370 quilômetros de Natal.

O Alerta Jovens tem o objetivo de levar conhecimento e esclarecimentos a jovens sobre os malefícios e consequências das drogas. No Rio Grande do Norte, o DPC/Seap está viabilizando palestras em diversos municípios, ministradas voluntariamente por agentes penitenciários do sistema estadual.

A coordenadora do DPC/Seap, Alcinéia Rodrigues explicou que Parnamirim e Caraúbas foram as cidades piloto do projeto, sendo esta última com aproximadamente 75% das escolas do município contempladas. Existe experiências em andamento em Currais Novos, com previsão de um novo ciclo de palestras em Mossoró, Patu, Assú, Ipanguaçu e Itajá.

Segundo o diretor do Grupo de Escolta Penal (GEP) de Caraúbas, Rodrigues Júnior, as palestras são diversificadas e busca passar as informações para os alunos, da melhor forma possível. "A informação é usada para prevenção e combate as drogas, o qual alertamos sobre efeitos e consequências, danos causados a saúde, fatores de riscos e de proteção. Também buscamos alertar sobre as más amizades, impactos e prejuízos sociais, relacionamentos com os pais, dificuldades na adolescência, importância escolar e principalmente sobre o encarceramento e a morte precoce após o envolvimento com as drogas", ressaltou.

O vice-diretor da Cadeia Pública de Caraúbas, enfatizou que cerca de 75% dos jovens encarcerados estão ligados diretamente ou indiretamente com crimes relacionados as drogas. "Esse é um dos objetivos de tentar não perder os jovens para os entorpecentes. Estamos felizes com o projeto, o qual tem o apoio de diversas instituições que tem a mesma visão, que é combater esse mal que assola lares de todo o Brasil", complementou o vice-diretor.

banner_carloschagas

Comentários (0)

Audiência Pública vai debater prevenção ao suicídio em São José do Seridó

Imprimir
PDF

b639e7237b74908de22bb471593dd46a

A Assembleia Legislativa realiza na cidade de São José do Seridó, uma audiência pública, sobre o Setembro Amarelo. De iniciativa do deputado estadual Vivaldo Costa (PSD), o debate, que acontece nesta sexta-feira (6), terá como tema "A vida fala mais alto: desafios de como enfrentar o suicídio" e acontecerá no Centro Pastoral, a partir das 17h. Na ocasião, será lançada oficialmente a Campanha Setembro Amarelo no município.

O deputado Vivaldo Costa tem sido um defensor do assunto, debatendo a temática, chamando a atenção do Governo do Estado para implantar e fortalecer políticas públicas em defesa do bem-estar e saúde mental.

"Estamos empenhados nesta luta. Nosso Seridó tem um alto número de casos de suicídio. Isso nos assusta e precisamos ajudar. O assunto é um grave problema de saúde pública; no entanto, os suicídios podem ser evitados em tempo oportuno, com base em evidências e com intervenções de baixo custo. É por isso que estamos propondo este debate amplo para só assim levar um real diagnóstico ao Governo do Estado", contou Vivaldo.

Vivaldo já realizou outras audiências com foco na Prevenção ao Suicídio, ouvindo especialistas, representantes do governo e pacientes em recuperação no tratamento da depressão. Natal e Caicó já receberam a caravana, agora será a vez de São José do Seridó.

A cada ano, cerca de 800 mil pessoas tiram a própria vida e um número ainda maior de indivíduos tenta suicídio. Cada suicídio é uma tragédia que afeta famílias, comunidades e países inteiros e tem efeitos duradouros sobre as pessoas deixadas para trás. O suicídio ocorre durante todo o curso de vida e foi a segunda principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos em todo o mundo no ano de 2016.

banersaomiguel

Comentários (0)

Registrada chapa “Força e União” para a eleição da nova diretoria da Anatra

Imprimir
PDF

Candidato_presidente_Glaydson_Soares_com_candidatos_e_apoiadores_no_momento_do_protocolo

Foi protocolada, na tarde desta quarta-feira (04), a inscrição da chapa "Força e União", que concorrerá às eleições para nova Diretoria da Associação Norte-riograndense dos Advogados Trabalhistas – ANATRA RN, no próximo dia 24 de setembro para o triênio 2019-2022. A chapa "Força e União" têm como presidente o advogado Glaydson Soares da Silva, e como vice-presidente o advogado Renato André Mendonça Rodrigues. No total, a chapa é composta por 12 nomes incluindo toda a Diretoria, Conselho Fiscal e os suplentes, além do representante da ABRAT.

"Nossa chapa tem o compromisso de enfrentar os desafios atuais da Justiça do Trabalho, que vem sofrendo com o constante e paulatino desmonte da justiça social brasileira. Entendemos que o tempo é de buscar coesão e união de todos na defesa de tempos melhores para advocacia trabalhista", declarou o candidato a presidência Glaydson Soares.

Chapa "Força e União":

Presidente – Glaydson Soares Silva

Vice-Presidente – Renato André Mendonça Rodrigues

Secretário-Geral – Simone Leite Dantas

Secretário-Geral Adjunto – Klevelando Augusto Silva dos Santos

Tesoureiro – João da Cruz Fonseca Santos

Tesoureiro Adjunto – Marcílio Mesquita de Góes

Conselho Fiscal: Eliane Maria Amâncio Lemos de Brito; Valéria Carvalho de Lucena e Edvaldo Sebastião Bandeira Leite.

Banner_Queijeira_1950x300

Comentários (0)

UFRN promove workshop de Redes Avançadas no Instituto Metrópole Digital

Imprimir
PDF

unnamed_1

O 3° Workshop de Redes Avançadas (WTR/Natal) acontece até 6 de setembro de 2019, no Instituto Metrópole Digital (IMD-UFRN). Com abertura realizada pelo reitor em exercício da UFRN, Henio Ferreira de Miranda, nesta quinta-feira, 5, o evento é promovido pelo Ponto de Presença da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) no Rio Grande do Norte (PoP-RN) e conta com o apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Com o objetivo de fomentar a troca de experiências e o compartilhamento de soluções técnicas, a programação prevê a realização de palestras ministradas por representantes de diversas instituições. Para o reitor em exercício, Henio Miranda, é importante nos mantermos vigilantes na disseminação de informações por meio de suportes eletrônicos e, diante dessa temática, o evento cumpre o papel de oportunizar o compartilhamento das novas metodologias e tecnologias sobre operação, gestão e monitoramento de redes avançadas, essencialmente no que concerne à segurança da informação.

O vice-diretor do Instituto Metrópole Digital (IMD), Adrião Duarte Dória Neto, ressaltou a parceria com a Rede do PoP-RN, por contribuir com a missão do IMD, que é formar recursos humanos e contribuir para inovação, temas alinhados ao workshop. Já o coordenador do Núcleo de Redes Avançadas, Sérgio Fialho, aproveitou a abertura do encontro para agradecer o apoio da UFRN no evento, que é voltado para gestores e equipes técnicas da área de tecnologia da informação e comunicação das principais instituições públicas e privadas de ensino e pesquisa do Rio Grande do Norte.

banner_carloschagas

Comentários (0)

UFRN busca atrair mulheres para área tecnológica com Futebol de Robôs

Imprimir
PDF

unnamed

O baixo percentual de participação feminina em alguns cursos de engenharia não chega a surpreender por ser um fenômeno mundial e observado em outras universidades. Mas a UFRN aposta em algumas iniciativas que buscam diminuir essa disparidade. Uma delas é o Futebol de Robôs, um projeto desenvolvido no Departamento de Engenharia da Computação e levado para escolas da rede pública com a intenção de atrair mais mulheres para a área tecnológica.

O projeto Futebol de Robôs teve origem no Laboratório de Robótica, onde alunos desenvolveram uma tecnologia mista, capaz de movimentar múltiplos robôs de maneira autônoma e sem interferência humana. Com isso, foi possível transformar o automatismo buscado na pesquisa em um lúdico jogo de futebol, para o qual, inclusive, já existem até campeonatos em uma modalidade específica para robôs.

Paralelo a isso, há um projeto de extensão chamado Robótica como agente incentivador e potencializador da vocação científica e tecnológica de meninas e jovens alunas de Engenharia. Também apelidado como MEG ou Mulheres na Engenharia, a ação de extensão tenta levar os conhecimentos de engenharia básica aliada à tecnologia desenvolvida com o futebol de robôs para meninas de escolas da rede pública de ensino, monitoradas por alunas dos cursos de Engenharia.

Para o professor do Departamento de Engenharia de Computação e Automação Pablo Javier Alcina, coordenador do MEG, a iniciativa tem dupla função. "Da mesma forma que motiva as alunas do ensino médio a buscar a área das engenharias, também faz com que a aluna que já está no curso de Engenharia tenha a sua vocação reforçada, porque também há muita evasão entre as alunas dos cursos de tecnologia".

Na Universidade Federal, por exemplo, dos 183 alunos matriculados no curso de Engenharia da Computação, no campus central, apenas 29 são mulheres. Em Engenharia Mecânica, são 226 homens para 45 mulheres. Em Engenharia Elétrica, a presença feminina é ainda menor, apontando apenas 65 mulheres para 381 homens, o que equivale a dizer que apenas 14% dos 446 alunos regulares no curso são do sexo feminino.

O futebol de robôs envolve conhecimentos mistos de várias disciplinas que podem ser trabalhadas com as estudantes do ensino médio para que estas percebam a aplicação prática do que é estudado. As alunas de engenharia levam o campo de futebol e os robôs nas visitas às escolas e buscam compartilhar os ensinamentos, que às vezes funcionam até como reforço escolar. "Na escola em que eu estudava nunca tive aula de matemática e tive poucas de física e hoje eu estou na UFRN cursando uma graduação de exatas. Esse contato desperta a curiosidade de aprender e eu descobri que gostava daquilo", conta a aluna de Ciência da Computação Jaisa Barbosa, que hoje também é monitora do projeto.

O grupo usa conhecimentos de física, eletrônica, eletricidade e impressão 3D, entre outros saberes desenvolvidos no futebol de robôs, divididos em módulos, com o objetivo de que, ao final do semestre, as alunas consigam desenvolver o próprio robô. No momento, 32 alunas de escolas estaduais são acompanhadas pelo projeto, mas a ideia é de que essas meninas se transformem em multiplicadoras após o encerramento das atividades, compartilhando o conhecimento adquirido.

autoescolar3a1banner

Comentários (0)